Este é um blog que incentiva a edificação através da leitura da bíblia, boa preparação das publicações, cânticos, experiencias e ajuda a direcionar o leitor ao site oficial, aceitamos somente comentários apreciativos e construtivos, visto que não somos um fórum de discussões. Este blog não representa e não é oficial das testemunhas de Jeová, e muito menos é apóstata, basta verificar seu conteúdo, é um blog de iniciativa pessoal, acesse: Nosso Site Oficial: www.jw.org

Destaque do Salmos 102-105

102 Ó Jeová, ouve deveras a minha oração; E chegue a ti o meu próprio clamor por ajuda (102:10) Tal atribulado pensaria logicamente na eternidade de Jeová, em relação com os físicos céus e terra. Sim, a criação física de céus e terra é permeável. Poderiam ser destruídos, se fosse do propósito de Deus. Dessemelhante da existência eterna de Deus, a permanência de qualquer parte de sua criação física não é independente. Conforme se vê no caso da terra, a criação física precisa passar por um processo contínuo de renovação para perdurar ou manter a sua forma existente. Que os céus físicos dependem da vontade de Deus e do Seu poder sustentador é indicado no Salmo 148. Depois de se referir ao sol, à lua e às estrelas, bem como a outras partes da criação de Deus, este Salmo (versículo 6) diz que Deus “os mantém estabelecidos para sempre, por tempo indefinido. Deu um regulamento, e este não passará”.

6 Pareço-me deveras ao pelicano do ermo. Tornei-me como o mocho dos lugares desolados (102:6)Igualmente incluída entre as aves ‘impuras’ está a hebraica kohs, palavra vertida por alguns como “mocho”, e designada como Athene noctua. Este mocho (conhecido hoje também como mocho-galego), de uns 25 cm de comprimento, é uma das corujas mais difundidas na Palestina, encontrada em moitas, olivais e ruínas desoladas. O salmista, na sua solitária aflição, sentiu-se como “o mocho dos lugares desolados”. (Sal 102:6) Apropriadamente, o nome árabe desta variedade de coruja significa “mãe de ruínas

11 Meus dias são como a sombra que declinou E eu mesmo estou ressequido como a mera vegetação.(102:11)
O modo em que a sombra muda de tamanho e por fim não existe mais, em resultado da progressão do sol, é usado como símile da curta duração ou transitoriedade da vida do homem. (1Cr 29:15; Jó 8:9; 14:1, 2; Sal 102:11; 144:4; Ec 6:12; 8:13)
Serem os dias da pessoa “como a sombra que declinou” significa que sua morte está próxima. (Sal 102:11; 109:23) Ao passo que as sombras lançadas pelo sol sempre mudam de tamanho e de direção com a rotação da terra, Jeová é imutável. Conforme escreveu o discípulo Tiago: “Com [Ele] não há variação da virada da sombra.” — Tg 1:17.

14 Pois os teus servos acharam prazer nas pedras dela E dirigem seu favor ao seu pó.(102:14)“Jeová não abandonará seu povo, por causa do seu grande nome, porque Jeová tem resolvido fazer de vós seu povo . . . Somente temei a Jeová, e tendes de servi-lo em verdade, de todo o vosso coração; pois, vede que grandes coisas ele fez por vós. Mas, se fizerdes flagrantemente o que é mau, sereis arrasados, tanto vós como o vosso rei [humano].” — 1 Sam. 12:22-25.

O Salmo 102:25-27 enfatiza a eternidade e a imperecibilidade de Deus, ao passo que a sua criação física dos céus e da terra é perecível, quer dizer, poderia ser destruída — se fosse do propósito de Deus. Dessemelhante da existência eterna de Deus, a permanência de qualquer parte da sua criação física não é independente.

2 Bendize a Jeová, ó minha alma, E não te esqueças de todos os seus atos(103:2)
O sentimento de gratidão a Jeová evidentemente está ligado a meditar com apreço sobre “seus atos”. Que atos específicos de Jeová Davi tinha em mente? Observar a criação de Jeová Deus, tal como os céus cravejados de estrelas numa noite limpa, pode realmente fazer-nos sentir profunda gratidão pelo Criador. Davi ficou profundamente maravilhado com os céus estrelados. (Salmo 8:3, 4; 19:1) Mas no Salmo 103, Davi se lembra de outro tipo de atividade de Jeová.
 3 Aquele que perdoa todo o teu erro,Que cura todas as tuas enfermidades (103:3)
Neste salmo, Davi narra os atos benevolentes de Deus. Referindo-se ao mais importante desses atos, ele canta: ‘Jeová perdoa todo o teu erro.’ (Salmo 103:3) Davi estava bem ciente de seu estado pecaminoso. Após o profeta Natã o confrontar, expondo sua relação adúltera com Bate-Seba

6 Jeová está executando atos de justiça E decisões judiciais para todos os que estão sendo defraudados(103:6Talvez Davi tivesse em mente os maus-tratos que os israelitas sofreram às mãos dos egípcios nos dias de Moisés. Nesse caso, refletir sobre como Jeová tornou conhecidos a Moisés os seus caminhos, pelo modo como libertou seu povo, com certeza tocou o coração de Davi e reforçou sua determinação de andar na verdade de Deus.
10 Ele nem mesmo fez a nós segundo os nossos pecados;
Nem trouxe sobre nós o que merecemos segundo os nossos erros(103:10)
A parábola do filho pródigo fornece discernimento adicional da atitude admirável de misericórdia e consideração por parte de Jeová. (Luc. 15:11-32) A reação do pai, na parábola, na volta do filho errante, exemplifica de modo atraente a maneira de ser do Pai celestial, Jeová. Na parábola, o filho havia deixado o lar, ido para longe e desperdiçado seu tempo e dinheiro numa vida devassa, inclusive com meretrizes. Ficou pobre e faminto, e, caindo em si, decidiu voltar ao seu pai. Note, agora, o que a parábola diz: “Enquanto ainda estava longe, seu pai o avistou e teve pena, e correu e lançou-se-lhe ao pescoço e o beijou ternamente.” — Luc. 15:20.
12 Tão longe como o nascente é do poenteTão longe pôs de nós as nossas transgressões(103:12)
A que distância o leste fica do oeste? Pode-se dizer que eles estão no ponto mais distante um do outro; esses dois pontos cardeais nunca se encontram. Um erudito diz que essa expressão significa “o mais longe possível, o mais longe que alguém possa imaginar”. As palavras inspiradas de Davi nos ensinam que, quando perdoa, Jeová coloca os nossos pecados o mais longe que podemos imaginar.

14 Porque ele mesmo conhece bem a nossa formação,Lembra-se de que somos pó.(103:14)
Ele não se esquece de que somos criaturas de pó, fracas devido à imperfeição. A declaração de que ele conhece “a nossa formação” lembra-nos de que, na Bíblia, Jeová é comparado a um oleiro e nós, a vasos de barro que ele molda. (Jeremias 18:2-6) O Grande Oleiro modera seus tratos conosco por causa da fragilidade de nossa natureza pecaminosa e de acordo com o modo como reagimos à sua orientação.
3 Aquele que constrói com vigas os seus quartos superiores nas próprias águas,Fazendo das nuvens o seu carro, Andando sobre as asas do vento(104:3)
Naturalmente, Jeová não faz das nuvens literais da terra o seu carro, mas pode usá-las como seus agentes para fazer certas coisas à humanidade na terra ou para ela. O que Ezequiel viu na visão parecia-se mais a um carro de quatro rodas do que a nuvens. Jeová não inspirou Ezequiel para ter a visão deste carro celestial só para distraí-lo com alguma aparência fantástica. Mostrou a Ezequiel esse carro autopropulsor, incomum, como quadro de algo ainda maior. Tiramos proveito em saber o que significa.

5 Ele fundou a terra sobre os seus lugares estabelecidos; Não será abalada, por tempo indefinido ou para todo o sempre(104:5)
Que a Terra vai permanecer para sempre é enfatizado no Salmo 104:5 por duas palavras usadas no hebraico original desse texto — ‛ohlám para “tempo indefinido” e ‛adh para “todo o sempre”. A palavra ‛ohlám também pode ser traduzida por “muitos anos” ou “perpétuo”. Segundo o Students’ Hebrew and Chaldee Dictionary (Dicionário Hebraico e Caldeu para Estudantes), de Harkavy, ‛adh significa “duração, sempiternidade, eternidade, para sempre”. Essas duas palavras hebraicas servem para enfatizar ainda mais a durabilidade da Terra.

Salmos 104:6-8
5 Talvez ainda mais notável seja a compreensão da história dos montes provida pela Bíblia. O seguinte é o que um compêndio de geologia diz: “Desde tempos pré-cambrianos até o presente, o processo perpétuo do desenvolvimento e da destruição de montes tem continuado. . . . Os montes não somente se têm originado do leito de mares desaparecidos, mas freqüentemente têm sido submersos muito depois da sua formação, e então novamente elevados.”2 Compare isso com a linguagem poética do salmista
11 Dão continuamente de beber a todos os animais selváticos da campina, As zebras saciam regularmente a sua sede.(104:11)
Como diz esse salmo, as zebras ‘saciam regularmente a sede’. Por isso, é raro encontrá-las a mais de oito quilômetros da água.” “Nós também temos de saciar regularmente nossa sede espiritual, ficando perto da congregação, estudando a Bíblia e assistindo às reuniões.”
15 E vinho que alegra o coração do homem mortal,Para fazer a face brilhar com óleo,E pão que revigora o próprio coração do homem mortal.(104:15)
A Bíblia mostra que, desde a antigüidade, o vinho era uma bebida comum às refeições, sendo usado por pessoas tais como Abraão, Isaque e muitos outros. Jesus proveu vinho para uma festa de casamento, e o apóstolo Paulo aconselhou ao jovem Timóteo a usar “de um pouco de vinho por causa do teu estômago e dos teus freqüentes casos de doença”. — 1 Timóteo 5:23.
A Bíblia alista, corretamente, o vinho entre as provisões e bênçãos de Deus para o usufruto dos homens. A Bíblia mostra também que o povo de Deus usava às vezes outras bebidas alcoólicas, inclusive cerveja e licores. Significa isso que você não precisa usar de cautela quanto a tomar bebidas alcoólicas? De modo algum. Pois a Palavra de Deus mostra também ‘o outro lado da questão’. Há muitas coisas na vida que não são erradas em si mesmas, mas que produzem conseqüências sérias, quando usadas mal ou cedo demais.
18 Os altos montes são para os cabritos monteses;Os rochedos são um refúgio para os procávias (104:18)
Os cabritos monteses — como o íbex-núbio, de chifres magníficos — estão entre os que escalam os montes com mais equilíbrio e segurança. Eles se aventuram a andar por entre saliências dos rochedos tão estreitas que parecem intransitáveis. O íbex é bem equipado para viver em lugares inacessíveis. Isso se deve, em parte, à estrutura dos cascos. A fenda neles pode expandir-se com o peso do animal, dando-lhe firmeza quando parado ou ao andar numa estreita saliência de rochedo. Sem dúvida, o íbex é uma obra-prima de projeto!
             23 O homem sai para a sua atividade E para o seu serviço até à noitinha(104:23)
O dia de trabalho começava antes do nascer do sol. (Pro. 31:15) De qualquer modo, quando o marido partia para o trabalho, podia ter a certeza de que sua esposa capaz cuidaria bem dos assuntos da casa. No fim do dia, não sentia vontade de ficar longe de casa, por esse ser um lugar desagradável, negligenciado por uma esposa preguiçosa. Antes, sua ajudadora havia equilibrado suas atividades, a fim de não ser de algum modo negligente e assim causar infelicidade.
26 Ali vão os navios Quanto ao leviatã, formaste-o para brincar nele(104:26)
Visto que, com exceção de Jó 3:8, as referências mencionam água com relação a ele, leviatã parece indicar algum tipo de criatura aquática de grande porte e força, embora não necessariamente de um único tipo específico. O Salmo 104:25, 26, descreve-o como cabriolando no mar onde passam navios, e por essa razão muitos sugerem que o termo aqui se refere a algum tipo de baleia. Embora baleias sejam raras no Mediterrâneo, elas não são desconhecidas ali, e partes de dois esqueletos de baleia podem ser encontradas num museu em Beirute, no Líbano. A An American Translation diz “crocodilo”, em vez de leviatã.
29 Se escondes a tua face, ficam perturbados.Se lhes tiras o espírito, expiram E retornam ao seu pó(104:29)É de interesse notar a correspondência destes pontos bíblicos com o que se sabe cientificamente sobre o processo da morte. No caso dos humanos, por exemplo, quando o coração cessa de bater, o sangue deixa de transportar nutrientes e oxigênio (obtido pela respiração) aos bilhões de células do corpo. No entanto, A Enciclopédia Delta Universal (1987, Vol. 10, p. 5475) salientou: “Uma pessoa cujo coração e pulmões param de funcionar pode ser considerada clinicamente morta, mas pode não ter ocorrido a morte somática. Células individuais do corpo continuam a viver por vários minutos. A pessoa pode ser ressuscitada se o coração e os pulmões recomeçarem a funcionar e levarem às células o oxigênio de que necessitam. Depois de cerca de 3min, as células do encéfalo — que são as mais sensíveis à falta de oxigênio — principiam a morrer. Em pouco, a pessoa estará morta além da possibilidade de ressurreição. Gradualmente, outras células do corpo também irão morrendo. As últimas a perecer são as células dos ossos, dos pêlos e da pele, que podem continuar a crescer por várias horas.” Assim, ao passo que é evidente a importância vital da respiração e do sangue em manter a ativa força de vida (rú·ahh hhai·yím) nas células do corpo, ao mesmo tempo também se torna claro que não é somente a cessação da respiração ou das batidas do coração, mas sim o desaparecimento da força de vida, ou espírito, das células do corpo que causa a morte conforme mencionada nas Escrituras. — Sal 104:29; 146:4; Ec 8:8.
30 Se envias teu espírito, são criados E fazes nova a face do solo(104:30)
A palavra “espírito” também é usada na Bíblia em outro sentido. Dirigindo-se a Deus em oração, o salmista disse: “Se envias teu espírito, são criados.” (Salmo 104:30) Este espírito não é o próprio Deus, mas uma força enviada ou usada por Deus para realizar o que ele quer. Por meio dele, Deus criou os céus físicos, a Terra e todas as coisas viventes. (Gênesis 1:2; Salmo 33:6) Seu espírito é chamado de espírito santo. Deus usou seu espírito santo para inspirar os homens que escreveram a Bíblia. (2 Pedro 1:20, 21) Portanto, o espírito santo é a força ativa invisível que Deus usa para cumprir seus propósitos.
4 Buscai a Jeová e a sua força. Procurai a sua face constantemente (105;4)
‘Procurar a face’ significava desejar uma audiência perante outro, como perante Deus ou perante um governante terrestre, implorando atenção favorável ou ajuda. (Sal 24:6; 27:8, 9; 105:4; Pr 29:26; Os 5:15) Os hebreus falavam de ‘levantar a face de alguém’, querendo dizer “ter consideração para com” tal. — 1Sa 25:35; veja IMPARCIALIDADE.
41 Abriu uma rocha e começaram a manar águas; Estas foram através das regiões áridas como um rio(105:41)
Dos Salmos aprendemos que “delegações de anjos” estavam envolvidas em causar as pragas no Egito (78:44-51) e que, no ermo, as águas milagrosamente providas “foram através das regiões áridas como um rio” (105:41), fornecendo assim um amplo e prontamente acessível suprimento de água para a nação de Israel e seus muitos animais domésticos. Os Salmos fornecem evidência de que o próprio Faraó morreu no mar Vermelho. — 136:15.

0 Comentaram (Comente também):

Postar um comentário

Dependendo do conteúdo, seu comentário poderá ser excluído.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...