Este é um blog que incentiva a edificação através da leitura da bíblia, boa preparação das publicações, cânticos, experiencias e ajuda a direcionar o leitor ao site oficial, aceitamos somente comentários apreciativos e construtivos, visto que não somos um fórum de discussões. Este blog não representa e não é oficial das testemunhas de Jeová, e muito menos é apóstata, basta verificar seu conteúdo, é um blog de iniciativa pessoal, acesse: Nosso Site Oficial: www.jw.org

O Erro de se Culpar a Deus


Quando algo sai errado, a tendência humana é culpar alguém ou alguma coisa pelo que aconteceu. Alguns até mesmo culpam a Deus. Mas Jeová não causa tais dificuldades às pessoas. Ele faz coisas boas, não prejudiciais. Ora, “ele faz o seu sol levantar-se sobre iníquos e sobre bons, e faz chover sobre justos e sobre injustos”! (Mateus 5:45) O motivo principal pelo qual sofremos adversidades é que vivemos num mundo que opera segundo princípios egoístas e que jaz no poder de Satanás, o Diabo. — 1 João 5:19.
Culpar a Jeová Deus pelas dificuldades que nossos enganos nos causam não é sábio e é perigoso. Pode até mesmo custar-nos a vida. O primeiro homem, Adão, devia ter dado crédito a Deus por todas as coisas boas que recebeu. Sim, Adão devia ter ficado profundamente grato a Jeová pela própria vida e pelas bênçãos que usufruía num lar semelhante a um parque, o jardim do Éden. (Gênesis 2:7-9) O que fez Adão quando as coisas não iam bem, por ele ter desobedecido a Jeová e ter comido o fruto proibido? Adão queixou-se a Deus: “A mulher que me deste para estar comigo, ela me deu do fruto da árvore e por isso comi.” (Gênesis 2:15-17; 3:1-12) Certamente, não devemos culpar a Jeová assim como Adão fez.
Quando nos confrontamos com dificuldades por causa de nossas ações imprudentes, podemos derivar consolo de sabermos que Jeová compreende nossas fraquezas melhor do que nós e nos livrará de nossos apuros, se lhe dermos a devoção exclusiva. Devemos apreciar a ajuda divina que recebemos, nunca culpando a Deus pelos apertos e pelas dificuldades que causamos a nós mesmos. Neste respeito, um provérbio sábio declara: “É a tolice do homem terreno que deturpa seu caminho, e por isso seu coração fica furioso com o próprio Jeová.” (Provérbios 19:3) Outra versão diz: “Alguns arruínam-se pelas suas próprias ações estúpidas e depois culpam o SENHOR.” (Today’s English Version) Ainda outra tradução declara: “A ignorância do homem atrapalha seus assuntos e depois ele se enfurece com Jeová.” — Byington.
Em harmonia com o princípio deste provérbio, Adão agiu egoistamente e seu raciocínio tolo ‘deturpou seu caminho’. Seu coração desviou-se de Jeová Deus, e ele passou a seguir seu próprio caminho egoísta, independente. Ora, Adão tornou-se tão ingrato, que culpou seu Criador e assim se tornou inimigo do Altíssimo! O pecado de Adão arruinou seu próprio caminho e o da sua família.
                                      
Que advertência isso nos dá!
 Os que estão inclinados a culpar a Jeová por condições indesejáveis poderiam muito bem perguntar-se: Dou crédito a Deus pelas boas coisas que usufruo? Sou grato de que tenho vida como uma das suas criações? Não foram os meus próprios erros que me causaram a dificuldade? Será que mereço o favor ou a ajuda de Jeová por seguir a sua orientação, conforme especificada na sua Palavra inspirada, a Bíblia?

Até mesmo alguns na congregação cristã desenvolveram um modo de pensar perigoso, tentando responsabilizar a Deus pelas dificuldades com que se confrontam. Por exemplo, anciãos designados em certa congregação acharam necessário dar a uma jovem irmã casada bondoso, porém firme conselho bíblico, contra associar-se com um homem do mundo. Durante uma palestra, ela culpou a Deus por não lhe ajudar a suportar a tentação que seu contínuo contato com aquele homem lhe causava. Ela até mesmo disse que estava zangada com Deus! Argumentos bíblicos e repetidos esforços para ajudá-la nada adiantaram, e o proceder imoral mais tarde levou à expulsão dela da congregação cristã.

Talvez pense que isso não pode acontecer com você. No entanto, quando as coisas vão mal por causa de nossos enganos ou dos outros, isso poderá por fim induzir-nos a culpar a Deus. Por exemplo, alguém talvez se ofenda com o que um concrente diz ou faz. Aquele que se ofende — possivelmente alguém que por muitos anos tem servido lealmente a Jeová — talvez diga então: ‘Se esta pessoa ficar na congregação, não freqüentarei as reuniões.’ Alguém talvez fique tão perturbado, que diga no coração: ‘Se as coisas prosseguirem assim, não quero fazer parte da congregação.’ Mas, será que o cristão deve ter tal atitude? Se outro humano imperfeito o ofendeu, por que irar-se e ficar perturbado com toda a congregação do povo que é aceitável a Deus e lhe serve lealmente? Por que deve alguém que se dedicou a Jeová parar de fazer a vontade divina e assim culpar a Deus? Quão sábio é deixar que uma pessoa ou uma série de circunstâncias destruam a boa relação que se tem com Jeová? Certamente é tolo e pecaminoso parar de adorar a Jeová Deus por qualquer motivo que seja. — Tiago 4:17.

Nunca deixe que suas emoções o façam reagir com tolice, deturpando assim seu caminho. Fale e aja para alegrar o coração de Deus. (Provérbios 27:11) Invoque a Jeová em oração fervorosa, sabendo que ele realmente se importa com você como um dos seus servos e que lhe dará o entendimento necessário para continuar na vereda da vida junto com Seu povo. (Provérbios 3:5, 6) Acima de tudo, não fique furioso com Deus. Quando algo sai errado, sempre se lembre de que a culpa não cabe a Jeová.

0 Comentaram (Comente também):

Postar um comentário

Dependendo do conteúdo, seu comentário poderá ser excluído.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...