Para enviar uma Mensagem click na foto depois do Login. Será excluído, dependendo do seu perfil.

As Novidades do Site Oficial

Evite os perigos do flerte


 Outro perigo que devemos evitar para manter a castidade é o flerte. Alguns talvez insistam que tal prática é apenas uma diversão inocente, inofensiva, entre pessoas do sexo oposto. Deve-se admitir que há hora e lugar para demonstrações de afeto. Isaque e Rebeca foram observados ‘divertindo-se’ juntos, e para quem os via era evidente que não eram apenas irmão e irmã. (Gênesis 26:7-9) No entanto, eles eram marido e esposa. As expressões de afeto entre eles eram apropriadas. O flerte, porém, é algo bem diferente.
O flerte pode ser definido do seguinte modo: demonstrar interesse romântico sem ter intenções de casamento. Os humanos são criaturas complexas, de modo que, sem dúvida, há inúmeras maneiras de flertar, algumas delas bem sutis. (Provérbios 30:18, 19) Portanto, não há como estabelecer regras inflexíveis sobre o assunto. Antes, exige algo mais elevado — um exame honesto de si mesmo e a aplicação conscienciosa dos princípios bíblicos.
 Se fizermos um exame honesto de nossos sentimentos, a maioria de nós provavelmente terá de admitir que, quando achamos que alguém do sexo oposto tem um interesse romântico em nós, sentimo-nos lisonjeados. Isso é natural. Mas que dizer de flertar só para despertar tal interesse, a fim de massagear nosso ego ou fazer com que a outra pessoa se sinta lisonjeada? Será que levamos em conta a dor que talvez causemos? Por exemplo, Provérbios 13:12 diz: “A expectativa adiada faz adoecer o coração.” Se deliberadamente flertamos, é provável que não nos demos conta do efeito que isso tem sobre a outra pessoa. Ele ou ela talvez passe a sonhar com o namoro ou até com o casamento. O desapontamento resultante pode ser esmagador. (Provérbios 18:14) Brincar intencionalmente com os sentimentos de outros é cruel.
Evitar o flerte é especialmente importante quando envolve alguém casado. É errado demonstrar interesse romântico numa pessoa casada, ou alguém casado mostrar tal interesse numa pessoa que não é seu cônjuge. Lamentavelmente, alguns cristãos tiveram a idéia errônea de que é aceitável cultivar sentimentos românticos por alguém do sexo oposto que não é seu cônjuge. Alguns revelam suas preocupações mais profundas ao “amigo” ou “amiga”, até mesmo confidenciando a tal pessoa pensamentos íntimos que não compartilham nem com o próprio cônjuge. Por causa disso, sentimentos românticos acabam por gerar envolvimento emocional, que pode minar e até mesmo destruir o casamento. Os cristãos casados farão bem em se lembrar da advertência sábia de Jesus a respeito do adultério — que esse começa no coração. (Mateus 5:28) Portanto, resguardemos o coração e evitemos situações que poderiam ter um resultado tão prejudicial.
 Deve-se admitir que não é fácil continuar casto neste mundo imoral. Lembre-se, porém, de que é bem mais fácil manter a castidade do que recuperá-la depois de perdida. É claro que Jeová pode ‘perdoar amplamente’ e é capaz de purificar os que se arrependem dos seus pecados com sinceridade. (Isaías 55:7) No entanto, Jeová não protege das conseqüências dos seus atos os que cometem imoralidade. Os efeitos podem durar anos, ou mesmo a vida toda. (2 Samuel 12:9-12) Acima de tudo, mantenha a castidade por resguardar o coração. Considere a sua condição limpa e casta perante Jeová Deus como um tesouro precioso — e nunca a abandone!

0 Comentaram (Comente também):

Postar um comentário

Dependendo do conteúdo, seu comentário poderá ser excluído.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...