Este é um blog que incentiva a edificação através da leitura da bíblia, boa preparação das publicações, cânticos, experiencias e ajuda a direcionar o leitor ao site oficial, aceitamos somente comentários apreciativos e construtivos, visto que não somos um fórum de discussões. Este blog não representa e não é oficial das testemunhas de Jeová, e muito menos é apóstata, basta verificar seu conteúdo, é um blog de iniciativa pessoal, acesse: Nosso Site Oficial: www.jw.org

Destaques de Daniel 4-6

Leitura da Bíblia:  Daniel  4-6

(Daniel 4:8, 9)  Será que o próprio Daniel se tornou um sacerdote-mago? Não. A expressão “chefe dos sacerdotes-magos” simplesmente se refere à posição de Daniel como “prefeito supremo sobre todos os sábios de Babilônia”. — Daniel 2:48.

(Daniel 4:10, 11, 20-22 ) O que a enorme árvore do sonho de Nabucodonosor representava, ou simbolizava? Inicialmente, a árvore representava Nabucodonosor como governante de uma potência mundial. Mas, visto que o domínio se estendia “até a extremidade da terra”, a árvore deve significar algo bem maior. Daniel 4:17 relaciona o sonho com o domínio do “Altíssimo” sobre a humanidade. Portanto, a árvore também simbolizava a soberania universal de Jeová, especialmente no que diz respeito à Terra. Sendo assim, o sonho tem dois cumprimentos — no governo de Nabucodonosor e na soberania de Jeová.

(Daniel 4:16, 23, 25, 32, 33)  Qual foi a extensão dos “sete tempos”? Todas as mudanças que aconteceram na aparência do Rei Nabucodonosor requeriam que os “sete tempos” durassem muito mais do que sete dias literais. No caso dele, os tempos foram sete anos de 360 dias cada um, ou seja, 2.520 dias. No cumprimento maior, os “sete tempos” são 2.520 anos. (Ezequiel 4:6, 7) Começaram com a destruição de Jerusalém em 607 AEC e terminaram com a entronização de Jesus como Rei celestial em 1914 EC. — Lucas 21:24.

 

(Daniel 4:17) A coisa é por decreto dos vigilantes e o pedido é [pela] declaração dos santos, para que os viventes saibam que o Altíssimo é Governante no reino da humanidade e que ele o dá a quem quiser, e estabelece nele até mesmo o mais humilde da humanidade.”

Espelhar-se nos melhores exemplos de humildade, que são Jeová Deus e Jesus Cristo, ajuda os cristãos a manter a genuína humildade. Isso envolve estudo regular da Bíblia e de publicações bíblicas fornecidas pelo “escravo fiel e discreto”. (Mateus 24:45) Esse estudo é vital para os superintendentes cristãos, ‘para que seus corações não se exaltem acima de seus irmãos’. (Deuteronômio 17:19, 20; 1 Pedro 5:1-3) Medite nos exemplos daqueles que foram abençoados por sua humildade, como Rute, Ana, Elisabete e muitos outros. (Rute 1:16, 17; 1 Samuel 1:11, 20; Lucas 1:41-43) Pense também nos muitos bons exemplos de homens de destaque que permaneceram humildes no serviço de Jeová, tais como Davi, Josias, João Batista e o apóstolo Paulo. (2 Crônicas 34:1, 2, 19, 26-28; Salmo 131:1; João 1:26, 27; 3:26-30; Atos 21:20-26; 1 Coríntios 15:9) E que dizer dos muitos exemplos de humildade que temos hoje na congregação cristã? Meditar nesses exemplos ajuda os cristãos verdadeiros a ter “humildade mental uns para com os outros”. — 1 Pedro 5:5.

(Daniel 4:24-27). Proclamar a mensagem do Reino, que inclui os julgamentos adversos de Deus, exige o mesmo tipo de fé e coragem que Daniel mostrou ao revelar o que ia acontecer a Nabucodonosor e o que ele devia fazer para que ‘sua prosperidade se prolongasse’.

 

(Daniel 5:5) . . .Naquele momento apareceram dedos de mão de homem e escreveram defronte do candelabro sobre o reboco da parede do palácio do rei, e o rei via as costas da mão que escrevia. . .

Hoje ‘a escrita está na parede’ — mas não só para “Babilônia, a Grande”. Lembre-se de uma verdade central, vital, do livro de Daniel: Jeová é o Soberano Universal. Ele, e somente ele, tem o direito de estabelecer um governante sobre a humanidade. (Daniel 4:17, 25; 5:21) Tudo o que se opuser aos propósitos de Jeová será eliminado. É só uma questão de tempo para Jeová agir. (Habacuque 2:3) Para Daniel, este tempo chegou por fim na décima década da sua vida. Ele viu então Jeová remover uma potência mundial — aquela que havia oprimido o povo de Deus desde a infância de Daniel.

(Daniel 5:30, 31). A “expressão proverbial contra o rei de Babilônia” se cumpriu. (Isaías 14:3, 4, 12-15) Satanás, o Diabo, cujo orgulho é similar ao dos reis babilônios, também terá um fim vergonhoso. — Daniel 4:30; 5:2-4, 23.

 

(Daniel 6:6-10 )  que para orar a Jeová não se exige uma postura específica, não teria sido sensato da parte de Daniel orar em secreto no período de 30 dias? Era de conhecimento público que Daniel orava três vezes por dia. Foi por isso que os conspiradores tiveram a idéia de emitir um decreto restringindo as orações. Qualquer mudança na rotina de Daniel com respeito à oração poderia ter dado a outras pessoas a impressão de que ele estava transigindo, e isso poderia ser visto como uma falha da parte dele em dar devoção exclusiva a Jeová.

 

(Daniel 6:16)  Concordemente, o próprio rei deu ordens, e trouxeram Daniel e o lançaram na cova dos leões. O rei respondeu e disse a Daniel: “Teu Deus, a quem serves com constância, ele mesmo te salvará.”

Daniel foi um excelente exemplo de fidelidade. Até mesmo o rei, que não adorava a Jeová, notou que Daniel servia a Ele “com constância”. (Daniel 6:16, 20) A raiz da palavra aramaica traduzida “constância” significa basicamente “andar em círculo”. Sugere continuidade. Como isso descreve bem a integridade inquebrantável de Daniel para com Jeová!

Nós também podemos servir a Jeová com constância. É ainda jovem? Então desenvolva agora um proceder constante por rejeitar as más associações e a conduta corrompedora deste mundo. Se já estiver servindo a Deus por algum tempo, mantenha o proceder de perseverança fiel. Não desista, pois cada provação com que nos confrontamos dá-nos a oportunidade de mostrar a Jeová que estamos decididos a servi-lo com constância. — Filipenses 4:11-13.

 

Visite nosso site Oficial: www.jw.org

Clique aqui para pedir um Estudo Bíblico Gratuito

 

1 Comentaram (Comente também):

  1. Matias Congr.Jurema-Guarulhos2 de outubro de 2012 14:37

    Ótimas explicações sobre o livro de Daniel. Realmente ele foi um grande exemplo de um cristão fiel e destemido.

    ResponderExcluir

Dependendo do conteúdo, seu comentário poderá ser excluído.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...